Passar para o Conteúdo Principal

logótipo mirandela

Hoje
Hoje
Amanhã
Amanhã

Praias Fluviais

imagemOs rios e ribeiras ganham cada vez mais adeptos no que toca a passar férias em conta e em segurança. A verdade é que Portugal tem muitos rios que têm sido cada vez mais aproveitados para fins turísticos. Não só se realizam passeios de barco ou de canoa, como são um destino balnear, principalmente para as localidades que não dispõem de costa marítima.

Todos os anos, durante a época balnear, que decorre de 1 de Junho a 30 de Setembro, tem sido posto em prática um Programa de Monitorização das zonas balneares, com o objectivo de verificar a conformidade dos parâmetros de qualidade das águas balneares com os exigidos pela legislação nacional e comunitária.

Este ano, pela primeira vez, todo o processo é da responsabilidade do Ministério das Cidades, Ordenamento do Território e Ambiente, através da participação conjunta do Instituto da Água, do Instituto do Ambiente e das Direcções Regionais de Ambiente e de Ordenamento do Território, de modo assegurar com sucesso a manutenção da evolução positiva, que Portugal tem revelado nos últimos anos, relativamente à qualidade das águas balneares.

Para as águas oceânicas, o Instituto do Ambiente assegura, para além disso, a realização das análises microbiológicas que definem a qualidade das águas e a certificação dos resultados verificados, através do seu Laboratório de Referência do Ambiente. Para as águas fluviais a monitorização está a cargo das Direcções Regionais de Ambiente e de Ordenamento do Território.

Complementarmente ao Programa de Monitorização, existe a preocupação de divulgação e comunicação, tendo como objectivo informar, alertar e incentivar a participação do cidadão, co-responsabilizando o utente da praia, ao mesmo tempo que se fomenta a aproximação dos cidadãos à Administração Pública. A Lei n.º 44/2004, de 19 de Agosto, definiu o regime jurídico da assistência nos locais destinados a banhistas e o Decreto-Lei n.º 96-A/2006 estabeleceu o regime contra-ordenacional aplicável em matéria de assistência aos banhistas nas praias de banhos.

Até à época balnear de 2006 o concelho de Mirandela tinha apenas uma praia fluvial classificada, a Praia da Maravilha junto ao Parque de Campismo. No decurso do processo de classificação para praias fluviais, e depois de 3 anos de monotorização, o concelho de Mirandela viu classificadas mais duas zonas balneares: a praia inserida no Parque Dr. José Gama e a Praia Fluvial de Vale de Juncal, tendo ambas a classificação de “Boa”.

Existem outras praias fluviais que são tidas como tal, embora formal e legalmente o não sejam. Estamos a falar da praia fluvial de Frechas e da praia fluvial de Miradeses, no concelho de Vale de Salgueiro.

Praias Fluviais do Concelho

  • Zonas balneares identificadas:
    • Praia fluvial do Parque Dr. José Gama;
    • Praia fluvial de Vale de Juncal;
    • Praia fluvial da Maravilha;
    • Praia fluvial de Quintas.
  • Zonas balneares não identificadas:
    • Miradeses;
    • Frechas.


Identificação de Novas Águas Balneares

Frequência das Amostragens - Época Balnear 2016

Programa Oficial de Monitorização - Época Balnear 2016

Relatório da Qualidade das Águas Balneares de 2006

ÁREA DE MUNÍCIPE

Aceda à sua Área de Munícipe para ter acesso aos Serviços Online, Gestão de Newsletters entre outras funcionalidades.

CONTACTOS

Câmara Municipal de Mirandela
Praça do Município
5370-288 Mirandela

Telefone 278 200 200
Fax 278 265 753
E-mail geral@cm-mirandela.pt

Linha verde: 800 205 791