Terça, 2 de Setembro de 2014

Competências do Presidente da Câmara Municipal


Além das competências que resultam de legislação avulsa, o Presidente da Câmara Municipal tem as suas competências fixadas na Lei nº 75/2013, de 12 de Setembro, que ora reproduzimos:

Artigo 34.º 
Delegação de competências no presidente da câmara municipal
1 - A câmara municipal pode delegar as suas competências no respetivo presidente, com exceção das previstas nas alíneas a), b), c), e), i), j), k), m), n), o), p), s), u), z), aa), hh), oo), vv), aaa) e ccc) do n.º 1 do artigo anterior e na alínea a) do artigo 39.º, com possibilidade de subdelegação em qualquer dos vereadores. 
2 - Das decisões tomadas pelo presidente da câmara municipal ou pelos vereadores no exercício de competências delegadas ou subdelegadas cabe recurso para a câmara municipal, sem prejuízo da sua impugnação contenciosa. 
3 - O recurso para a câmara municipal pode ter por fundamento a ilegalidade ou inconveniência da decisão e é apreciado no prazo máximo de 30 dias.
Artigo 35.º 
Competências do presidente da câmara municipal
1 - Compete ao presidente da câmara municipal: 
a) Representar o município em juízo e fora dele; 
b) Executar as deliberações da câmara municipal e coordenar a respetiva atividade; 
c) Dar cumprimento às deliberações da assembleia municipal, sempre que para a sua execução seja necessária a intervenção da câmara municipal; 
d) Elaborar e manter atualizado o cadastro dos bens móveis e imóveis do município; 
e) Participar ao Ministério Público as faltas injustificadas dos membros da câmara municipal, para os efeitos legais; 
f) Aprovar os projetos, programas de concurso, cadernos de encargos e a adjudicação de empreitadas e aquisição de bens e serviços, cuja autorização de despesa lhe caiba; 
g) Autorizar a realização das despesas orçamentadas até ao limite estipulado por lei ou por delegação da câmara municipal, com a exceção das referidas no n.º 2 do artigo 30.º; 
h) Autorizar o pagamento das despesas realizadas; 
i) Comunicar, no prazo legal, às entidades competentes para a respetiva cobrança o valor da taxa do imposto municipal sobre imóveis, assim como, quando for o caso, a deliberação sobre o lançamento de derramas; 
j) Submeter a norma de controlo interno, bem como o inventário dos bens, direitos e obrigações patrimoniais do município e respetiva avaliação, e ainda os documentos de prestação de contas, à aprovação da câmara municipal e à apreciação e votação da assembleia municipal, com exceção da norma de controlo interno; 
k) Enviar ao Tribunal de Contas os documentos que devam ser submetidos à sua apreciação, sem prejuízo do disposto na alínea ww) do n.º 1 do artigo 33.º; 
l) Assinar ou visar a correspondência da câmara municipal que tenha como destinatários quaisquer entidades ou organismos públicos; 
m) Convocar, nos casos previstos no n.º 4 do artigo 40.º, as reuniões ordinárias da câmara municipal para o dia e hora marcados e enviar a ordem do dia a todos os outros membros; 
n) Convocar as reuniões extraordinárias; 
o) Estabelecer e distribuir a ordem do dia das reuniões; 
p) Abrir e encerrar as reuniões, dirigir os trabalhos e assegurar o cumprimento da lei e a regularidade das deliberações; 
q) Suspender ou encerrar antecipadamente as reuniões, quando circunstâncias excecionais o justifiquem, mediante decisão fundamentada a incluir na ata da reunião; 
r) Representar a câmara municipal nas sessões da assembleia municipal; 
s) Responder, em tempo útil e de modo a permitir a sua apreciação na sessão seguinte da assembleia municipal, aos pedidos de informação apresentados por esta; 
t) Promover a publicação das decisões ou deliberações previstas no artigo 56.º; 
u) Promover o cumprimento do Estatuto do Direito de Oposição e a publicação do respetivo relatório de avaliação; 
v) Dirigir, em articulação com os organismos da administração pública com competência no domínio da proteção civil, o serviço municipal de proteção civil, tendo em vista o cumprimento dos planos de emergência e programas estabelecidos e a coordenação das atividades a desenvolver naquele âmbito, designadamente em operações de socorro e assistência na iminência ou ocorrência de acidente grave ou catástrofe; 
w) Presidir ao conselho municipal de segurança; 
x) Remeter à assembleia municipal a minuta das atas e as atas das reuniões da câmara municipal, logo que aprovadas; 
y) Enviar à assembleia municipal, para os efeitos previstos na alínea c) do n.º 2 do artigo 25.º, toda a documentação, designadamente relatórios, pareceres, memorandos e documentos de igual natureza, incluindo a respeitante às entidades abrangidas pelo regime jurídico da atividade empresarial local e das participações locais, quando existam, indispensável para a compreensão e análise crítica e objetiva da informação aí inscrita.
2 - Compete ainda ao presidente da câmara municipal: 
a) Decidir todos os assuntos relacionados com a gestão e direção dos recursos humanos afetos aos serviços municipais; 
b) Designar o trabalhador que serve de oficial público para lavrar todos os contratos nos termos da lei; 
c) Modificar ou revogar os atos praticados por trabalhadores afetos aos serviços da câmara municipal; 
d) Gerir os recursos humanos dos estabelecimentos de educação; 
e) Promover a execução, por administração direta ou empreitada, das obras, bem como proceder à aquisição de bens e serviços; 
f) Outorgar contratos em representação do município; 
g) Intentar ações judiciais e defender-se nelas, podendo confessar, desistir ou transigir, se não houver ofensa de direitos de terceiros; 
h) Praticar os atos necessários à administração corrente do património do município e à sua conservação; 
i) Proceder aos registos prediais do património imobiliário do município, bem como a registos de qualquer outra natureza; 
j) Conceder autorizações de utilização de edifícios; 
k) Embargar e ordenar a demolição de quaisquer obras, construções ou edificações, efetuadas por particulares ou pessoas coletivas, nos seguintes casos: 
i) Sem licença ou na falta de qualquer outro procedimento de controlo prévio legalmente previsto ou com inobservância das condições neles constantes; 
ii) Com violação dos regulamentos, das posturas municipais, de medidas preventivas, de normas provisórias, de áreas de construção prioritária, de áreas de desenvolvimento urbano prioritário ou de planos municipais de ordenamento do território plenamente eficazes; 
l) Ordenar o despejo sumário dos prédios cuja expropriação por utilidade pública tenha sido declarada; 
m) Conceder licenças policiais ou fiscais, nos termos da lei, regulamentos e posturas; 
n) Determinar a instrução dos processos de contraordenação e aplicar as coimas, com a faculdade de delegação em qualquer dos outros membros da câmara municipal; 
o) Dar conhecimento à câmara municipal e enviar à assembleia municipal cópias dos relatórios definitivos resultantes de ações tutelares ou de auditorias sobre a atividade da câmara municipal e dos serviços do município, no prazo máximo de 10 dias após o recebimento dos mesmos; 
p) Conceder terrenos, nos cemitérios propriedade do município, para jazigos, mausoléus e sepulturas perpétuas. 
3 - Em circunstâncias excecionais, e no caso de, por motivo de urgência, não ser possível reunir extraordinariamente a câmara municipal, o presidente pode praticar quaisquer atos da competência desta, ficando os mesmos sujeitos a ratificação na primeira reunião realizada após a sua prática, sob pena de anulabilidade. 
4 - Da informação prevista na alínea c) do n.º 2 do artigo 25.º devem constar o saldo e o estado das dívidas a fornecedores e as reclamações, recursos hierárquicos e processos judiciais pendentes, com indicação da respetiva fase e estado.

Artigo 36.º 
Distribuição de funções
1 - O presidente da câmara municipal é coadjuvado pelos vereadores no exercício das suas funções. 
2 - O presidente da câmara municipal pode delegar ou subdelegar competências nos vereadores.

Artigo 37.º 
Coordenação dos serviços municipais
Sem prejuízo dos poderes de fiscalização dos quais sejam titulares os membros da câmara municipal nos domínios sob sua responsabilidade, compete ao presidente da câmara municipal a coordenação dos serviços municipais.

Artigo 38.º 
Delegação de competências nos dirigentes
1 - O presidente da câmara municipal e os vereadores podem delegar ou subdelegar no dirigente da unidade orgânica materialmente competente as competências previstas nas alíneas a), b), c), g), h), k) e v) do n.º 1 e d), f), h), i), m) e p) do n.º 2 do artigo 35.º 
2 - No domínio da gestão e direção de recursos humanos, podem ainda ser objeto de delegação ou subdelegação as seguintes competências: 
a) Aprovar e alterar o mapa de férias e restantes decisões relativas a férias, sem prejuízo pelo regular funcionamento do serviço e da salvaguarda do interesse público; 
b) Justificar faltas; 
c) Conceder licenças sem remuneração ou sem vencimento até ao prazo máximo de um ano; 
d) Homologar a avaliação de desempenho dos trabalhadores, nos casos em que o delegado ou subdelegado não tenha sido o notador; 
e) Decidir em matéria de organização e horário de trabalho, tendo em conta as orientações superiormente fixadas; 
f) Autorizar a prestação de trabalho extraordinário; 
g) Assinar contratos de trabalho em funções públicas; 
h) Homologar a avaliação do período experimental; 
i) Praticar os atos relativos à aposentação dos trabalhadores; 
j) Praticar os atos respeitantes ao regime de segurança social, incluindo os relativos a acidentes em serviço e acidentes de trabalho. 
3 - Podem ainda ser objeto de delegação ou subdelegação as seguintes competências: 
a) Autorizar a realização e o pagamento de despesas em cumprimento de contratos de adesão cuja celebração tenha sido autorizada e com cabimento no orçamento em vigor; 
b) Autorizar a realização de despesas até ao limite estabelecido por lei; 
c) Autorizar o registo de inscrição de técnicos; 
d) Autorizar termos de abertura e encerramento em livros sujeitos a essa formalidade, designadamente livros de obra; 
e) Autorizar a restituição aos interessados de documentos juntos a processos; 
f) Autorizar a passagem de termos de identidade, idoneidade e justificação administrativa; 
g) Autorizar a passagem de certidões ou fotocópias autenticadas aos interessados, relativas a processos ou documentos constantes de processos arquivados e que careçam de despacho ou deliberação dos eleitos locais; 
h) Emitir alvarás exigidos por lei na sequência da decisão ou deliberação que confiram esse direito; 
i) Conceder licenças de ocupação da via pública por motivo de obras; 
j) Autorizar a renovação de licenças que dependa unicamente do cumprimento de formalidades burocráticas ou similares pelos interessados; 
k) Emitir o cartão de vendedor ambulante; 
l) Determinar a instrução de processos de contraordenação e designar o respetivo instrutor; 
m) Praticar outros atos e formalidades de caráter instrumental necessários ao exercício da competência decisória do delegante ou subdelegante. 
4 - A delegação ou subdelegação da competência prevista na alínea a) do n.º 1 do artigo 35.º depende da prática de ato especialmente dirigido a cada uma das representações em causa. 
5 - Às delegações e subdelegações previstas no presente artigo é aplicável, com as devidas adaptações, o disposto nos n.os 2 e 3 do artigo 34.º

 Artigo 39.º 
Competências de funcionamento
Compete à câmara municipal: 
a) Elaborar e aprovar o regimento; 
b) Executar e velar pelo cumprimento das deliberações da assembleia municipal; 
c) Proceder à marcação e justificação das faltas dos seus membros.






Copyright © 2014 - Câmara Municipal de Mirandela.
| Avisos Legais | Ficha Técnica | Mapa do Site | Contactos | Newsletter | Sugestões |